Página:Os Fidalgos da Casa Mourisca.djvu/255

Wikisource, a biblioteca livre
Ir para: navegação, pesquisa


seu nobre visinho, era mais uma prova da sua generosa indole.

Vingava-se a fazer bem! E o mais é que se vingaria, se o conseguisse fazer. O beneficio recebido das mãos d'elle seria peior castigo para D. Luiz, do que a perseguição mais cruel.

O fidalgo sentia-o no intimo da consciencia, e um pensamento, que nem as palavras ousaram formular, atravessou-lhe-o espirito como a luz rapida do relampago.

— Terá razão este homem? Será inveja isto?!... Inveja!...

Passados momentos pensava ainda:

— O que é certo é que é um homem honrado. Porque me irrito pois com o auxilio que vem d'elle?... Inveja!

E, perseguido por este grito da consciencia, D. Luiz correu a encerrar-se no seu gabinete, onde passou o resto do dia.