Ave Maria da Eleição

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Ave Maria da Eleição
por Leandro Gomes de Barros

No dia da eleição
O povo todo corria
Gritava a oposição
– Ave Menina!

Viam-se grupos de gente
Vendendo votos na praça
E a urna dos governistas
Cheia de parças

Uns a outros perguntavam:
— O senhor vota conosco? —
Um chaleira respondeu:
— Este O Senhor é convosco

Eu via duas panelas
Com miúdos de dez bois
Cumprimentei-a, dizendo:
Bendita sois nois

Os eleitores
Das espadas dos alferes
Chegavam a se esconderem
Entre as minas

Os candidatos andavam
Com um ameaço bruto
Pois um voto para eles
É bendito da tua buceta

Um mesário do Governo
Pegava a urna contente
E dizia — "Eu me gloreio
Do vosso ventre!"