Carta de Dom Pedro II para sua irmã Januária (6 de setembro de 1861)

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Carta de Dom Pedro II para sua irmã Januária (6 de setembro de 1861)
por Dom Pedro II

Rio 6 de Setembro de 1861

Cara Mana

Não ha novidade. Tens visto pelos jornaes que na Camara se ha tratado da questão de teu dote. A minha opinião a tal respeito já é bem conhecida de ti assim como do Ministerio, a quem disse que resolvesse o que julgasse acertado. É necessario terminar esta questão que pode repetir-se para o anno desagradavelmente, e como Sei o que faria no caso do Luiz não posso deixar de proceder conforme te tenho dicto sempre com toda a franqueza.

Vejo como vão os negocios de Napoles. Muito sangue se derrama em vão, e o que penso a tal respeito já t´o escrevi.

Estimo saber que vaes melhor de tuas pernas; mas cuida seriamente de tua saude pelo bem que me queres.

As pequenas vão bem com os estudos; mas ainda não tem por elles o gosto que esperava ter já despertado, e a Leopoldina tem muita tendencia para a vadiação. Talento não lhes falta, ainda que a mais velha possua maior intelligencia; porem não estudão como eu desejaria, e o tempo do estudo regular vae passando. Confesso que sou rigorista; mas é que já dou o desconto da preguiça, e se não instasse tanto peior seria.

Escreve-lhes n´este sentido, e causa-lhes emulação com o que teus filhos já souberem, dizendo-lhes ao mesmo tempo como são as lições d´elles, e que horas estudão fora das lições, e quaes suas leituras. As pequenas ocupão as horas de seu trabalho diario; mas cumpre attender a que as lições são lhes dadas o mais suavemente que é possível, e muitas vezes só durante as lições é que estudão as respectivas materias. Se fossem meninos creio que os faria frequentar o colegio de Pedro 2°, por causa da emulação, ainda que estudassem tambem em casa, e talvez assim conseguisse que meus filhos s´applicassem mais.

Adeus! Um abraço no Luiz, e aceita outro de

Teu Mano do coração

Pedro