Carta de Dom Pedro II para sua irmã Januária (7 de junho de 1862)

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Rio 7 de Junho de 1862


Cara Mana

Todos bons. Veras pelos jornaes o que tem havido na politica; mas por ora tudo vae calmo; e até creio que se fará alguma cousa esta sessão, porque é do interesse bem entendido de ambos os partidos aproveitar esta tregua afim de obterem medidas legislativas já reclamadas, que assegurão a liberdade das eleições a que não quero recorrer senão em ultimo caso e de modo a não m´illudir a respeito do voto nacional.

Estimo que tu e todos os teus vão bem de saude.

Não tenho tempo para mais, e desde já te recommendo, se ahi te encontrares com elle, o Jacobina ajudante de Paulo Barboza, e que te poderá dar notícias circunstanciadas de aqui. Vae sem modestia e ao mesmo encarregado de negocios da casa de que elle é o verdadeiro mordomo, visto o estado de saude do Paulo. Trata-o como elle merece por seu caracter e serviços que tem prestado á casa.

Adeus! Um abraço ao Luiz, e aceita outro muito saudoso de

Teu mano do coração

Pedro