Carta de Dom Pedro II para sua irmã Januária (8 de dezembro de 1862)

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Rio 8 de Dezembro de 1862


D´aqui não ha novidade alem das medidas de algum rigor, mas justo que exigia tudo da alfândega da Côrte e a moralidade publica.

Li a carta que meu cunhado escreveu á Imperatriz; e o officio do Marques Lisboa. Constame sobretudo n´esta occasião a ser Imperador e o que te posso afiançar é que não será por falta de desejo; mas pelo dever d´executar as leis que eu deixarei de fazer o que queremos.

O Marques Lisboa te informará de tudo com a costumada lealdade sentindo eu profundamente que este negocio não seja particular e só dependente da affeição que te consagra porque então ficaria tudo arranjado á medida de teus desejos.

Adeus! Recebe este abraço saudosissimo do

Teu Mano do coração

Pedro

[P.S.:] Lembranças a meus sobrinhos