Carta de Dom Pedro II para sua irmã Januária (8 de julho de 1861)

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Carta de Dom Pedro II para sua irmã Januária (8 de julho de 1861)
por Dom Pedro II

Cara Mana

Não ha novidade. As sucessões da Camara tem concorrido para aclarar o horizonte politico como bem da ordem e o ministerio tem maioria decidida.

A respeito dos negocios da Italia já sabes qual é minha opinião. A Monte de Cavour talvez concorra para mais prompto desenlace, mas poderá tornal-o dependente d´um cataclisma. Creio que a confederação dos antigos estados italianos, conservada sua autonomia, hade vir mas que venha sem mais derramamento de sangue deve ser o voto dos que tem coração.

Consta-me que o rei de Napoles deu-se da retirada do Santo Amaro; mas elle deve conhecer quaes meus sentimentos a seu respeito e distinguir o individuo da entidade politica alem d´isto o governo approva inteiramente o modo porque Santo Amaro procedeu de accordo com o desejo manifestado pelo rei. Se tiveres occasião de communicar ao rei o que acabo de dizer estimal-o-ei.

Já vi a photographia da estatua equestre de nosso Pae que julgo fará excelente vista sobre o pesdetal de granito em que talvez s´inaugure a 12 de Outubro d´este anno.

Manda-me sempre dizer o que tiveres visto de mais interessante n´essa Babylonia. Não te esqueces de trazer-me em dia com a litteratura italiana.

Adeus! Lembranças e um abraço ao Luiz e aceita outro saudoso de

Teu Mano do coração

Pedro