Castelo Perigoso/LXI

Wikisource, a biblioteca livre
< Castelo Perigoso
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Castelo Perigoso
Capítulo LXI – Que o homem deve despender o domingo e festas em oração


Deveis de saber que em todo tempo e lugar pode homem rogar Deus, mas mais especialmente no mosteiro e com maior devoção, principalmente aos domingos e festas que para isto são estabelecidos, que então é homem mais asinha ouvido pelos merecimentos dos santos. E deve-se homem então a guardar de todas terreais ocupações e especialmente de pecado, e ocupar-se em oração e em servir Deus, ca Deus mandou na lei velha apedrejar um homem por uma pouca de lenha que colheu ao sábado. Pois que será daqueles que ao domingo e festas fazem os grandes pecados e gastam o precioso tempo às távolas e aos dados e em falas vãs e em más festas, que Santo Agostinho diz que são pecados mortais, tirando as que se fazem nas bodas dos amigos carnais?

Por isso deve homem gastar o domingo e as festas em oração e em servir e louvar Deus pelos bens que lhe fez, em ouvir os sermões ou estudar as longas devoções secretamente em sua câmara entre si e Deus, que vale mais ca os gemidos e suspiros e lágrimas que o homem acha estudando não se perdem por vã glória, porque homem não é visto, e pode-os perder nos sermões, porque o vêem e ouvem.

Por isto disse Deus no Evangelho: "Quando tu quiseres orar proveitosamente, entra em tua câmara e cerra a porta, e não serás empachado dos de fora". Jesus Cristo mesmo, que não podia haver torvação que o agravasse, quando queria orar, deixava todos seus discípulos por nos ensinar que, quando quisésemos orar fujamos ao ruído de gente e que nos cerremos todos em nós.