Contos Tradicionaes do Povo Portuguez/A mulher teimosa

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Contos Tradicionaes do Povo Portuguez por Teófilo Braga
106. A mulher teimosa



106. A MULHER TEIMOSA

Um homem era casado com uma mulher tão teimosa, que já a não podia aturar; uma vez trouxe para casa um queijo, e puzeram-se ambos á mesa para jantar. Foram para partir o queijo, e disse o homem que era preciso uma faca. A mulher, teimosa, começou a porfiar que o queijo se partia com a tesoura. Teimam que teimam, o homem pega a bater na mulher, e a perguntar:

— Com que se parte o queijo?

— Com a tesoura! — respondia ella quanto mais elle lhe batia.

Por fim, o homem desesperado, deitou-a ao poço, e como ella já não podia fallar com a cabeça debaixo de agua, ainda fazia com os dedos da mão, que estava de fóra, o gesto imitando as pernas da tesoura cortando.

(Porto.)





Notas[editar]

106. A mulher teimosa. — Edelestand du Méril, na Histoire de la Fable esopique, (Ap. Poésies inedites du Moyen-Age, p. 154, not. 5) cita um manuscripto da Bibliotheca de Bruxellas, do seculo XV, no qual se acha esta mesma fabula com o titulo De homine et uxore litigiosa. Transcrevemos a peripecia final: «Illa, autem, quia jam linguam amiserat et loqui non potuit, signo quo valuit, pertinaciam ostendit, forcipi formam et officium digitis ostentans.»