Contos Tradicionaes do Povo Portuguez/As botas fiadas

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Contos Tradicionaes do Povo Portuguez por Manuel da Costa
183. As botas fiadas



183. AS BOTAS FIADAS

Um fidalgo, tomou por materia de riso calçar todo o anno sem pagar nenhum par de obra aos sapateiros, que vieram a dar-lhe na trilha, levantando-se ás maiores com palavras, que correu entre todos que nenhum se fiasse d'elle, nem lhe desse calçado sem lhe pagar primeiro.

Vendo-se o fidalgo posto em cêrco, e que ninguem lhe queria dar sapatos sem o dinheiro na mão, mandou ao moço que pedisse um só sapato á prova, e que se lhe contentasse mandaria buscar o outro com o dinheiro de ambos.

— Isso sim, disse o official; um sapato levará você, mas dois não os verá seu amo sem me pôr n'esta banca o dinheiro.

Como o fidalgo teve um nas unhas, mandou o pagem a outro sapateiro com o mesmo recado, e do mesmo modo fiou um sapato d'elle, persuadindo-se que mandaria buscar o outro com o dinheiro, ou lh'o restituiria não lhe servindo. Vendo-se assim com os dois, calçou-os e foi-se ao paço rir sobre a historia.

(Padre Vieira, Arte de furtar, p. 474.)