Contos Tradicionaes do Povo Portuguez/O Rei-Escuta

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Contos Tradicionaes do Povo Portuguez por Teófilo Braga
38. O Rei-Escuta



38. O REI-ESCUTA

Havia um rei, que tinha por costume andar escutando pelas portas, pelo que lhe chamavam o Rei-Escuta. Uma noite elle foi escutar a uma porta e ouviu dizer:

— O que eu queria era casar com o padeiro do rei, para comer sempre pão fresco.

Outra voz dizia:

— Não sejas tola; eu o que queria era casar com o cosinheiro do rei, para comer guisados muito afamados.

E outra voz disse:

— Pois o que eu queria era casar com o Rei-Escuta.

O rei ouviu tudo aquillo e foi-se embora. No dia seguinte mandou chamar as raparigas d’aquella casa, e perguntou á mais velha:

— Então, queres casar com o meu padeiro?

Respondeu que sim. Chamou a segunda, e fez a mesma pergunta a respeito do cosinheiro. Ella disse que sim. Chamou por fim a mais moça:

— Então queres casar commigo?

— Sim senhor, disse isso!

O rei mandou casar as duas raparigas com o padeiro e o cosinheiro, e a mais moça casou com elle. As irmãs ficaram logo com muita inveja, e metteram enredos ao rei, que a ia mandar deitar ao mar; mas os criados descobriram-lhe tudo, e elle ficou vivendo muito feliz com a sua mulher e nunca mais quiz saber das cunhadas, que foram para o meio da rua.

(Ilha de S. Miguel—Açores.)

Notas[editar]

Vid. Nota aos contos O Rei-Escuta e As cunhadas do rei.