Contos Tradicionaes do Povo Portuguez/O que Deus faz é por melhor

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Contos Tradicionaes do Povo Portuguez por Teófilo Braga
136. O que Deus faz é por melhor


136. O QUE DEUS FAZ É POR MELHOR

Hum escodeyro avya huma sua mol her, que avia tam grande esperança em Deus que toda cousa de novo que acontecia a sy ou aos seos, sempre dizia:

— Esto he por milhor.

E aconteceu que aquelle escodeyro per aquecimento perdeo hum olho. E sua molher trabalhouse de o confortar, dizendo que aquillo lhe leyxara deos acontecer por o milhor. E depóis aconteceu a este escudeyro de se hir a huma terra estranha que chamõ dos lutuanos e servia hum principe daquella terra. E elle servia aquelle principe muy graciosamente em tal guisa que o principe o amava muyto. E aconteceu ao principe enfermidade de morte. E o costume daquella terra era tal, que quando o principe morria escolhiam hum dos seus sergentes dos melhores e mais graciosos, que morresse com elle, pera o servir en o outro mundo; e queymavãno con o senhor segundo era seu costume. E esto avian per grande honrra aaquelle servente que assi era escolheito.

Entom aquelle princepe mandou dizer aaquelle seu escudeyro que nom avya mais que hum olho que elle o escolhia que morresse e fosse queymado com elle, porque elle o servia muy bem e muy fielmente, e que o amava muyto, e poren o queria assy honrrar mais que todollos seus serventes. Quando o escudeyro esto ouvyo dava a entender que se tiinha per muy honrrado desto, dando muytas graças ao principe pela mercee e honrra que lhe fazia. E disse aaquelles que lhe trouxerom o rrecado:

— Como quer que esto seja a my muy grande honrra, pero dizede a meu senhor que elle bem sabe que sempre o servi muy fielmente e ainda agora em este caso quero seer fiel e quero leixar a minha honrra polla sua, e prazme que dê esta honrra a outro que tenha dous olhos. Ca nom compre aa honrra de meu senhor que elle parecesse en o outro segle com servidor que non tevesse mais de um olho.

Quando o senhor ouviu esta resposta louvou-a e recebeu-a por boa, julgando que em esto lhe fazia aquelle escudeyro estremada e singular fieldade. E assy escapou aquelle escudeyro morte cruel per razom do olho que tinha quebrado.

(Fl. 63, v.)





Notas[editar]

136. O que Deus faz é por melhor. — Acha-se no Conde de Lucanor. Vid. o conto de Trancoso, sobre o mesmo thema, mas em diversa situação. (N.º 164.)