Hino à Maringá

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Hino à Maringá
Letra por Ary de Lima
Melodia por Aniceto Matti
Oficializado pela Lei Municipal nº 271 de 23/10/1963
I

Quem te avista, nos dias de agora,
Acenando ao porvir da esperança,
Adivinha a floresta de outrora
Que embalou tua vida criança
Há em ti a grandeza imponente
De um passado que exemplos nos dá:
- Se és glória da Pátria contente,
És orgulho do teu Paraná.

ESTRIBILHO
Linda flor, a mais gentil,
Do norte do Paraná,
És orgulho do Brasil,
Nossa amada Maringá (BIS)

II

O teu vulto traduz a mensagem
De um passado coberto de glória,
Arrancado à floresta selvagem
Para eterno viver na história.
Um poema de luz para o mundo
O teu nome sublime será,
E de nosso afeto profundo
Sempre filha serás Maringá.

ESTRIBILHO
Linda flor, a mais gentil,
Do norte do Paraná,
És orgulho do Brasil,
Nossa amada Maringá (BIS)

III

Teu encanto de hoje é retrato
Das belezas que Deus espalhou
Como bênçãos do céu sobre o mato
Que a tua grandeza enfeitou.
Há em ti o perfume das flores,
A poesia de todos os ninhos,
E uma luz que acende fulgores,
Clareando teus novos caminhos.

ESTRIBILHO
Linda flor, a mais gentil,
Do norte do Paraná,
És orgulho do Brasil,
Nossa amada Maringá (BIS)


Fontes[editar]