Hino do município de Parambu

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Hino do município de Parambu
Letra por Antônio de Oliveira
Melodia por Antônio de Oliveira
Antônio de Oliveira

Na terra fértil habitada por jucás,
Uma semente pequenininha germinou,
Cachoerinha, nome que perdurará,
Foi o ramalho verdejante que brotou.

Seguiu crescendo ao redor intensamente
E estendeu-se sobre as margens do Puiu,
Para o orgulho de um povo independente,
Nasceu a pátria tão sonhada, Parambu.

Salve! Salve! Parambu, torrão natal!
Sou jubiloso em dizer: meu berço és tu!
Salve! Salve! Parambu, glória real!
És bela e forte, terra amada, Parambu.

As tuas serras relevadas te abrilhantam,
Ao teu oeste nos deixando a impressão
Que sobre os montes, belas rochas que encantam,
Estão erguidas completando o teu sertão.

Terra adorada, tua gente é valorosa,
Beleza rara, qual a ti se igualará?
Tens belo porte, ó cidade ostentosa!
Meu Parambu, perfeito brilho ao Ceará!

Salve! Salve! Parambu, torrão natal!
Sou jubiloso em dizer: meu berço és tu!
Salve! Salve! Parambu, glória real!
És bela e forte, terra amada, Parambu.

Sublime terra, excelente chão fecundo,
Em que cultiva o paladino lavrador,
O nosso peito tem por ti amor profundo,
Com teu folclore tu agregas mais valor.

Se um povo nobre, resoluto não temeu,
Partiu à luta almejando evoluir,
Então, amemos Parambu que floresceu,
E haveremos de amá-lo no porvir.

Salve! Salve! Parambu, torrão natal!
Sou jubiloso em dizer: meu berço és tu!
Salve! Salve! Parambu, glória real!
És bela e forte, terra amada, Parambu.