Imagens vãas me imprime a phantasia

Wikisource, a biblioteca livre

Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
(Imagens vãas me imprime a phantasia)
por Luís Vaz de Camões
Poema agrupado posteriormente e publicado em Obras completas de Luis de Camões (1843, v. II)

Imagens vãas me imprime a phantasia;
Discursos novos acha o pensamento;
Com que dão á minha alma grão tormento
Cuidados de cem annos n'hum só dia.

Se fim grande tivessem, bem sería
Responder a esperança ao fundamento:
Mas o fado não corre tão a tento,
Que reserve á razão sua valia.

Caso e Fortuna pódem acertar;
Mas se por accidente dão victoria,
Sempre o favor da Fama he falsa historia.

Excede ao saber, determinar:
Á constancia se deve toda a gloria:
O ânimo livre he digno de memoria.