Muitas vezes em meu cuidar

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Muitas vezes em meu cuidar
por Joan Soairez Somesso


Muitas vezes em meu cuidar
hei eu gram bem de mia senhor;
e quant'ali hei de sabor,
se mi ar torna pois em pesar,
des que m'eu part'; e nulha rem
me nom fica daquel gram bem,
e nom me sei conselh'achar.
  
Nem acharei, erg'em cuidar,
conselh', enquant'eu vivo for,
ca 'ssi me tem forçad'Amor
que me faz atal don'amar
que me quer mui gram mal por en;
e porque nom sab'amar, tem
que nom pod'hom'Amor forçar.
  
Mais Amor há tam gram poder
que forçar pode quem quiser;
e pois que mia senhor nom quer
esto d'Amor per rem creer,
jamais seu bem nom haverei,
senom assi como mi o hei:
sempr'em cuidá'lo poss'haver!
  
Ca Deus me deu tam gram poder
que, mentre m'eu guardar poder
de fala d'hom'ou de molher,
que nom poss'este bem perder:
ca sempr'em ela cuidarei,
e sempr'em ela já terrei
o coraçom, mentr'eu viver.