Nasceste em pranto (débito preciso)

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
A morte do mesmo dezembargador
por Gregório de Matos
Poema agrupado posteriormente e publicado em Crônica do Viver Baiano SeiscentistaOs Homens BonsJuízes de Igaraçu

Nasceste em pranto (débito preciso)
Com riso a vida deixas mui sonoro,
Por mostrar, se da morte da vida é choro,
Com mais razão da vida a morte é riso.

Enfim soube gozar o teu juízo
Da vida mais da morte o melhor foro
No sentimento, honras, e decoro,
Nos agrados, costumes, e no siso.

Ó mil vezes ditoso, que lograste
Da vida mais da morte a melhor sorte,
E antes que te deixasse, a deixaste.

E por dela triunfar de toda a sorte
Do nascimento a véspera apressaste,
Por lograr eterna vida a tua morte.