O tamborzinho de Arcole

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
O tamborzinho de Arcole
por Luís Delfino
Publicada em Rosas Negras.


A Arthur Azevedo
... ius valuit.
Tácito — Annalium.

Quando um dia, lançada à guerra. a jovem França
Começou a parar sob Arcole esmagada:
E via as asas de águia, e as asas da esperança
Murchas na haste que as leva, e ela metralhada;
 
Quando Napoleão, general e criança,
Brandindo a tricolor bandeira, e erguendo a espada,
Bradava ante as legiões da República: — Avança!
E ele só parecia a França laureada...
 
Um rapaz louro, imberbe, ardente, entusiasta,
Tendo os sonhos da glória em sua fronte vasta,
Junto ao seu general, só... rufava o tambor.

Esqueceram-no... Um dia ao ver não star no olvido,
Que o Panteão, em Paris, tinha-o em pedra esculpido,
Vê, cai, morre, exclamando: — A história tem pudor!!...