Página:A Estrella do Sul.pdf/171

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
A ESTRELLA DO SUL

165


approximando-se sem pronunciarem uma só palavra do que pensavam a respeito do fugitivo, disseram a um tempo:

— Paesinho, leva-nos comtigo! Pedimos-te muito, muito!

— Leval-os commigo?... E para quê?... Digam lá!

— Para te preparar o café e a comida, disse Bardik.

— Para te lavar a roupa, acrescentou Li.

— E para evitar que os maus te façam mal, continuaram os dois como se estivessem combinados.

Cypriano olhou para elles com agradecimento, e respondeu :

— Pois seja! Levo-os ambos, visto que assim o desejam !

E em seguida foi despedir-se do velho Jacobus Vandergaart, o qual, sem approvar ou desapprovar que Cypriano fosse n'aquella expedição, lhe apertou cordialmente a mão desejando-lhe boa viagem.

No dia seguinte de manhã, ao dirigir-se para o acampamento de Vandergaart a fim de se metter na diligencia de Potchfstrom, o joven engenheiro levantou os olhos para a granja Watkin, onde tudo ainda dormia.

Mas seria illusão? Pareceu-lhe ver n'uma das janellas, por detraz da cortina de mussellina branca, uma fórma subtil, que, no momento em que elle se afastava, lhe fazia um ultimo signal de adeus.

CAPITULO XIII
ATRAVEZ DO TRANSWAAL

Ao chegarem a Potchefstrom os quatro viajantes souberam que um rapaz cafre, — cujos signaes condiziam com os de Ma-