Página:A Estrella do Sul.pdf/193

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
A ESTRELLA DO SUL

187


Um preto de elevada estatura, embrulhado com orgulho n'uma capa velha de chita encarnada, e tendo a fronte cingida por aquella especie de diadema de tripas de carneiro, usado habitualmente pelos guerreiros cafres, acabava de saír do meio do matagal, em cuja proximidade se debatia a transacção; depois desatou á bordoada com a haste da lança nos macalaccas, apanhados em flagrante delicto de operações prohibidas.

— Lopépe!... Lopépe!... gritaram os desgraçados selvagens, safando-se para todos os lados como uma ninhada de ratos.

Mas de repente surgiu das diversas moitas, que cercavam o acampamento, um circulo de guerreiros, que se apertou em roda dos fugitivos e os reteve prisioneiros.

Lopépe ordenou que immediatamente lhe entregassem os botões; observou-os com todo o cuidado á luz dos archotes feitos com as fachas de milho, e encafuou-os, não sem manifestar claramente a sua satisfação, no fundo da sua bolsa de coiro. Depois chegou-se a Bardik, tirou-lhe das mãos as pennas de abestruz já compradas, e apropiou-se d'ellas da mesma forma que fizera aos botões.

Os brancos tinham permanecido espectadores passivos d'aquella scena, e não sabiam muito bem se seria conveniente metterem-se n'ella, quando Lopépe cortou a questão dirigindo-se para elles. Parou a alguns passos de distancia, e começou a fazer uma falla completamente inintelligivel para os estrangeiros.

James Hilton, que comprehendia algumas palavras de bejuana, conseguiu, comtudo, comprehender o sentido geral d'aquella allocução, e communicou-o aos companheiros. Vinha o chefe cafre a dizer pouco mais ou menos que se queixava de que elles tivessem consentido que Bardik negociasse com os macalaccas, os quaes não podem possuir bens proprios; e termi-