Página:A Guerra de Canudos.djvu/122

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
106
A Guerra de Canudos

Ao cahir da tarde, coube á artilharia dar fim ao combate, destacando para frente dois canhões, protegidos por uma ala do 40° e pelo 32°, iniciando o bombardeio das primeiras casas aquém do arraial, já visivel ao longe, apparecendo entre a cópa do arvoredo o vulto de uma igreja, para cuja torre e muralhas atiravam os canhões ; estes, ao anoitecer de todo, ainda enviavam seus projectis em direcção ao inimigo, emboscado nos montes e nos penhascos ao longe, tiroteiando até próximo da madrugada.

N'esses combates de Trabubú e Macambira o desfalque nas fileiras da columna attingio a 150 baixas, sendo 6 officiaes mortos e 8 feridos; 34 praças mortas e as restantes feridas. A somma total das perdas, desde Cócoróbo, elevava-se a 330 homens, dos quaes mortos 68, inclusive 7 ofíiciaes.

Era o 3° dia de renhidos combates susten tados pela 2ª columna, em duas leguas de marcha, conquistadas palmo a palmo, sob incessante fuzilaria, effectuando constantes cargas de baionetas, unico meio de ser expulso o inimigo, cuja tenacidade na defeza, zombava da saraivada dos projectis.

As forças bivacaram em Macambira, nas cercanias de Canudos. D'ali, percebia-se con fusamente a grande agglomeração anti-syme-