Página:A Guerra de Canudos.djvu/124

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
108
A Guerra de Canudos

baleados era permanente no leito do rio, pelas devezas dos cerrotes, marginando as cercas.

Alguns, talvez occultos sob a sombra da favella e do esparso arvoredo, esperando que a morte lhes finalisasse a serie de tantos soffrimentos. Assim, — quanto não foi ella desejada por muitos, como ultimo favor do Destino, supremo allivio aos que sentiam o sangue se esvahir, sem verem um companheiro proximo, nem ouvirem uma voz amiga!




O luár era encoberto por volumosas nuvens, de sorte a requerer algum cuidado o transito n'aquelles lugares cheios de accidentes. Mesmo assim, quem proseguisse pela estrada em direcção a linha avançada, algum tanto áquem, juncto a pequeno descampado, tendo ao lado um curral de cabras, com algumas arvores fructiferas mal cuidadas, os espinhos ali proliferando e lastrando com vigor, observaria três homens no dicto curral, cavando com anciedade a terra, no intuito de abrirem uma sepultura.

Para esse funebre serviço, como ferramenta apenas dispunham d'um sabre e das laminas de duas espadas; as mãos suppriam o resto.