Página:A Guerra de Canudos.djvu/130

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
112
A Guerra de Canudos

na véspera seguira para aquelle ponto, distante do Rosario 1 legua, com o fim de garantir a marcha da columna. Essa, como de ordinario, era lenta e difficil, em virtude das asperezas do terreno, quando não areiento, fórtemente accidentado e pedregoso. A artilharia particularmente o canhão 32, com os muares e bois extenuados e sedentos, rodava morosamente.

As forças estavam 3 leguas distantes de Canudos e em menos de um dia podiam enfrentar a Cidadella. A' 27, o General Arthur Oscar determinou a marcha, a ultima a effectuar. A columna levantou acampamento entre 7 ½ e 8 horas da manhã, fazendolhe vanguarda a 2.ª brigada, apóz a qual marchava a 3.ª e em seguida a de artilharia.

A 1.ª brigada constituia a retaguarda, fóra de cuja protecção já estava o comboio da coronel Campello. A' testa da columna seguia o 25°, tambem fazendo o serviço de flanqueamento. A' este, dirigia o alferes Tinoco Valente e á companhia de vanguarda o capitão Benjamin da C. Moreira Alves.

A' 1 hora da tarde, a 1.ª columna travou o seu primeiro combate contra o inimigo, tenda a vanguarda engajádo o fogo, fórtemente mantido no flanco direito, onde respeitavel troço de jagunços fazia frente bravamente. O