Página:A Guerra de Canudos.djvu/132

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
114
A Guerra de Canudos

Cezar, pela destruição que encontravam, restos da fatal retirada. Muitos corpos, seccos sob a acção do sol abrazador, mostravam-se em po sições diverssas, assim colocados pelos fanaticos, que zombavam d'aquelles infelizes soldados. Tudo o que conduziam ali estava, inclusive roupa e dinheiro. As armas e munições os Conselheiristas não deixavam de arrecadar.

O corpo do extincto coronel Tamarindo, foi tambem reconhecido. Estava degolado e os restos dependurados, tendo ao lado as botas de que usava o velho official. Mais próximo á Favella encontraram uma tíbia, onde estava amarrado com um lenço a quantia de 4 contos de réis, presumindo-se pertencer aquelle fragmento ao desventurado Capitão Salomão da Rocha, e o dinheiro a bateria por elle commandada.

Depois de pequeno intervallo, recomeçaram as hostilidades durante a marcha, com pequena resistencia da parte do inimigo, attrahindo, segundo pensava, com sua tactica habitual as forças para o arraial, onde, com bôas razões, contavam aniquilalas. O ultimo tiroteio foi levado a effeito em Umburana, ½ legua de Canudos. A noite era próxima e, apesar d'isso, não viam ainda o arraial, devido á successão de montes em continuadas ondulações. A