Página:A Guerra de Canudos.djvu/138

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
120
A Guerra de Canudos

da Fazenda Velha, um grande sacco, rodeando os terrenos ao fundo da igreja nóva, em cujas proximidades e do santuario, banhando uma grande quixabeira, toma a direcção O. desapparecendo pelas quebradas dos montes, confundindo-se com a cazaria, que não terminava, até onde nossas vistas se alongavam.

Era aquella collossal povoação, habitada por 30 ou 35 mil pessoas fanatizadas e de armas em punho, promptas a morrer pelo seu ideial, que a 2ª columna, com 2.200 homens, pretendia assaltar e conquistar; era essa, naturalmente, tambem a intenção da 1.ª, cujo bombardeio desde cêdo flagellava a Cidadella: os seus projectis e os nossos, lá se encontravam nas suas casas e igrejas.

O crepitar da fuzilaria jagunça e as descargas cerradas partidas do arraial e igrejas, das grótas, outeiros e catingas, contra a divisão do general Silva Barbos a, e pela mesma correspondidas com energia, e o bombardeio aturado demonstravam que a lucta n'aquella direcção assumia proporções inquietadoras; quanto á nós, agora, os fanáticos pouco hostilisavam e os que seguiam em nossa frente, concentravams-e no arraial, dispostos a enfrentar a carga que em breve a columna lhes enviaria; deixaram, entretanto, por fóra, embrenhados na catinga e occultos em grotões, piquetes de 40 a