Página:A Guerra de Canudos.djvu/144

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
126
A Guerra de Canudos

á levar o assalto á Canudos, abandonassem as posições n'aquelle dia conquistadas, depois de 4 renhidos e sangrentos combates, desde Cócoróbó. Os batalhões ganharam terreno para a retaguarda e mudando de frente para a esquerda, se collocaram em posição de marchar por esse flanco.

Entre 9 ½ e 10 horas, a columna encetou a marcha de flanco, com o fim altamente nobre de socorrer os seus valentes camaradas da 1ª, que batiam-se ardorosamente contra o grosso das hostes fanatisadas de António Conselheiro. Fazia-o tambem em proveito proprio, porque, uma vez derrotada e aniquilada a 1ª columna, o que succederia fatalmente, dada a hypothese de somente contar com a pouca munição existente, e o comboio que transportava a restante, sitiado, comforme veremos; a 2ª isolada, com mais de 300 feridos, seria o objectivo da furia dos fanaticos, que, com a audacia decuplicada pela victoria sobre a outra, nos aniquilariam irrevogavelmente e a catastrophe seria tremenda, irremediavel!

Si assaltássemos Canudos, antes da chegada do emissario, quem sabe si venceriamos?

Ou si ás portas do arraial não seriamos totalmente esmagados, apesar da bravura e do arrojo dos nossos soldados e da inabalavel disposição em que estavam os ofíiciaes de ven-