Página:A Guerra de Canudos.djvu/150

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
130
A Guerra de Canudos

animaes; só conseguiam apressar um pouco, com o efficaz auxilio dos abnegados soldados do 35º, causados e offegantes sob a canicula, ainda assim arrastando á pulso os canhões, amparando-os na vertiginosa carreira, ao descerem as ladeiras.

Depois de mais de uma hora de escabrozo caminhar, debaixo de calor suffocante, luctando com o inimigo e os impecilios do terreno ondulado, a divisão Savaget chegava á chapada que precede a Favella. Ainda n'essa occasião, teve o ensejo de reppellir os jagunços, empenhados no ataque a retaguarda.

A 4ª brigada, ás 10 ½ horas penetrou na Favella pelo flanco direito, guiado pelo destimido alferes Leite, que foi alvo de calorosa recepção, em virtude de seu brilhante procedimento. A brigada passou o hospital de sangue e foi guarnecer a artilharia, tendo antes varrido os fanaticos da frente dessa arma, soffrendo fogo violento. N'essa emergencia, o 31° teve fora de combate 24 homens, incluzive os alferes Honorino de Almeida, gravemente ferido e A. Pedro Soeiro, levemente. O 12°, também perdeu alguns homens e foi guarnecer a esquerda da linha avançada.

Com a approximação da 2ª columna, os soldados da 1ª iam ao seu encontro desaffogados, revelando nas manifestações de alegria e