Página:A Guerra de Canudos.djvu/177

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
149
A Guerra de Canudos

como audazes guerrilheiros. Manifestavam todo empenho em se apoderar da munição, que reconheciam astutamente ser a salvação da columna. Mas os soldados do 5° corpo de policia, valentes sertanejos habituados áquelle genero de guerra, oppunham-lhes admiravel resistencia, que poderia ser prolongada por mais algumas horas. O commandante d'aquelle corpo, capitão do exercito Salvador de Aragão, era auxiliado por bons e bravos officiaes, como os capitães Virgilio P. de Almeida e Francellino Marques, tenentes Severiano Silva e Angelo Silva, alferes Castro Queiroz e outros não menos valorozos. Quanto á direcção geral da acção, assumiu-a o coronel Campello, auxiliado pelo seu assistente, capitão Castro e Silva.

Scientificado dos serios embaraços em que se achava o comboio e notando que a munição existente na columna nâo daria para fogo prolongado, o general Arthur Oscar mandou emissarios na direcção do Angico, para fazerem adiantar os cargueiros que a conduziam ; os enviados não conseguiram romper as linhas inimigas. Meia hora depois, houve nova tentativa, sendo mandados o 1° tenente Sebastião Lacerda e o alferes Leovigildo A. dos Prazeres e uma força de cavallaria, nada conseguindo, voltando. Foi então tomado o alvitre de ser chamada a 2ª columna.