Página:A Guerra de Canudos.djvu/178

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
150
A Guerra de Canudos

E o 5° corpo de policia, batia-se com todo esforço, na defesa do material confiado á sua guarda. Da Favella ouviase o ruidozo tiroteio nas Umburanas; grande parte dos muares estava damnificada. Entretanto, o coronel Campello, ouvindo por sua vez o crepitar do combate travado na Favella, estava contrariadissimo, e, official valente e briozo, sentia não poder prestar o auxilio tão necessário aos seus camaradas, que anciozos o esperavam.

Era impossivel á 1ª columna destacar uma brigada, mesmo um batalhão, para seguir em reforço ao comboio. Todas as forças estavam directamente empenhadas no fogo, accrescenda estarem tambem sitiadas pelo inimigo.

N'essas condições, só a columna Savaget, quando chegasse, podia enviar alguma força para o fim indicado, mantendo livres as communicações, como effectuou, do modo que vamos, notar.

Ao ser effectuada a juncção das forças, foi designada a 5ª brigada (S. Martins) para levar a effeito a ardua missão de salvar e conduzir o comboio. A valorosa brigada, depois de pequeno descanço, marchou em direcção á Umburanas, tendo meia hora antes partido em descoberta o 35°, que, explorando o flanco esquerdo, voltou, seguindo então toda a brigada.