Página:A Guerra de Canudos.djvu/179

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
A Guerra de Canudos
151

Esta, durante o trajecto, foi sempre hostilizada, tendo mais d'uma vez, de empregar cargas de baionetas para desalojar o inimigo. O 35° fazia o flanqueamento e o 34° a vanguarda. Pela estrada percorrida, foi a brigada encontrando cadaveres barbaramente mutilados e outros destroços, muares mortos e munição de infantaria e artilharia, espalhada entre corpos de soldados e jagunços.

O coronel Serra Martins, depois de grandes esforços, tendo repellido o inimigo de varios pontorv deteve a marcha alguns instantes, para melhor ordenar a força, quando por uma praça recebeu um bilhete d'este teôr : — « Ao illustre collega, que commanda a força de exploração, peço apoio para o comboio, que está com o pessoal fatigado por sete horas, quasi, de fogo, tendo alguns feridos e muitos estropeados. Entrincheiramento a ½ legua de Canudos, 28 de Junho de 1897. — O deputado do quartel-mestre-general, Manoel Gonçalves Campello França coronel commandante. — » O coronel S. Martins seguiu logo, estando um quarto de hora depois, nas posições fortificadas do coronel Campello.

Essa juncção effectuouse ás 5 ½ horas da tarde, entre manifestações de grande regosijo, ao som do hymno nacional e toque de alvoada ; ao approximarse a força salvadora, o