Página:A Guerra de Canudos.djvu/222

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
190
A Guerra de Canudos

Rompeu o dia e o sol d'uma bella manhã surgiu afogueado. Então, distinguiamos o perfil esbelto, ao mesmo tempo formidavel das graniticas torres da Igreja Nova, dominando com o vulto poderoso e altaneiro o vasto quadrilatero, constituindo a praça de Canudos; mais aquém, enfrentando-a, era a igreja Santo Antonio, ou velha, mais nova, entretanto, na apparencia, com alva e recente caiação; essa era d'uma só torre, precedendo-a grande cruzeiro, cercado de bem estabelecido gradil de madeira.

Embebidos na contemplação do formoso espectaculo produzido pelo sol, innundando com a luz suave da manhã a innumeravel cazaria, mais longe dourando o pico dos cerros abruptos e de vegetação rachitica, e nos refazendo com o ar puro, saturado das emanações dos cactus e demais flores silvestres, marchávamos, quando o silvo rapido d'alguns projectis vindos da frente, fez aguçar a attenção dos que marchavam.

Engajára-se energico tiroteio ao transpor o batalhão da vanguarda o leito do rio, completamente secco e além do qual o terreno é dominado pelos montes que defendem a entrada do arraial.

Entretanto, o 30.° ia de vencida levando o nimigo, desalojando-o successivamente, em-