Página:A Guerra de Canudos.djvu/231

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
195
A Guerra de Canudos

A munição das bolsas se esgotava, sendo abertos á golpes de machado e de sabre os cunhetes de sobresalente; as linhas dos batalhões diminuiam de extensão, e a fuzilaria cerrada de parte á parte n'um pipocar estrepitoso, o ribombo continuo da artilharia, tudo promettia a duração da lucta, pois, nenhum dos contendores queria, nem podia ceder um passo, e, ai do que assim procedesse!

Mas n'um certo momento de energia desesperada, revigorou-se toda a linha: os coroneis Telles e Serra Martins, os tenentes-coroneis Dantas Barreto e Tupi, os majores Seixas, Sampaio e outros officiaes, dirigiram phrases de animação e de enthusiasmo a seus valentes soldados. Os officiaes, os soldados, todos emfim, comprehenderam que era chegado o momento supremo e que mais alguns minutos de espera seriam fataes! O general em chefe havia mais uma vez ordenado o toque avançar-carga: todas as cornetas repetiram-n'o em echoante clangôr. Gritos de enthusiasmo, vivas á Republica, á memoria do Marechal Floriano, ao Exercito, reboaram nos montes e nas quebradas. Em poucos instantes a linha, d'um a outro extremo, ordenou as suas baionetas e n'uma avançada impetuosa, n'um arrojo invencivel se precipitou sobre Canudos, para não mais deter-se!