Página:A Guerra de Canudos.djvu/266

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
228
A Guerra de Canudos

Houve alarma geral dos batalhões, que chegaram á fórma. Os da linha avançada, sob asuperior commando dos tenentes-coroneis Dantas e Tupy, ao passo que valorozamente correspondiam ao fogo n'aquelles pontos, propunham-se tambem á levar auxilio á direita, bastante ameaçada.

De relance, os generaes Arthur e Barbosa mediram a gravidade do ataque e pessoalmente assumiram a direcção da defesa. O resultado foi serem os jagunços repellidos, o que não obstou á que fizessem nova tentativa pouco depois, sendo novamente mantidos á distancia.

Depois de poucas horas de relativa calma, á 1 da tarde, terceiro e mais desesperado ataque levaram os bravos sertanejos, ainda na nossa direita, desta vez com energia que a audacia extrema decuplicava.

Seriam duzentos, aproximadamente. Mas desta vez, atacando tambem a retaguarda e á peito descoberto, foram definitivamente batidos, cabendo a maior somma dos esforços ao 14°. Deixaram no campo, limpo á direita, e nas catingas que cobrem todo terreno a retaguarda uns 50 mortos, inclusive o seu famigerado eousado cabecilha Pageú que pagou com a vida o seu arrojo.

Da nossa parte, foram mortos o valente tenente Fernandes Figueira, do 7° e 4 praças e