Página:A Guerra de Canudos.djvu/277

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
239
A Guerra de Canudos

e acertadas medidas tomadas pelo Marechal citado, a nossa miseria transformou-se em abundancia geral.

Ao passo que entre as forças de Canudos tudo faltava, tudo era miseria e necessidades, em Monte Santo os armazens regorgitavam de viveres e de artigos de toda a especie e quem lá estava nadava em plena abastança, além da segurança de vida.

Monte Santo por algum tempo transformouse n'um Monte-Carlo, occupando logar proeminente a roleta. Para lá seguiam tambem aquelles camaradas, cuja organização delicada e demasiado amor á própria individualidade faziam evitar as inclemencias do tempo, as vigilias, o veneno dos reptis, a estada interminavel ao relento nas trincheiras e o silvo impertinente dos projectis dos fanaticos, n'uma caçada á qual, afinal, se tornavam indifferentes os que estavam nos seus postos, no arraial.

N'este, conservou-se o coronel de engenheiros Campello França, deputado do Quartel-Mestre-General, e para Monte Santo seguira em principios de julho o seu assistente, o capitão de infantaria Castro e Silva, que foi cuidar da organização dos comboios.

O capitão Castro e Silva fez o que poude para estabelecer o serviço de abastecimento, aliás moroso e defficiente. A acquisição de ani-