Página:A Guerra de Canudos.djvu/329

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
277
A Guerra de Canudos

tinha organização de brigada, com dous medicos e ambulancias. Seu estado effectivo montava 639 homens, incluzive 39 officiaes. Commandava o 1.° batalhão o major João de Lemos, capitão do Exercito e o 2.° o tenente-coronel Antonio D. Vieira da Fontoura.

O embarque d'essa força teve lugar no dia 5 de Agosto, desembarcando na Báhia á 25 do dito mez, aquartellando no Forte de S. Pedro. Marchou para Queimadas á 30, ali acampando a 1.° de Setembro. Marchou á 4 para Monte Santo, onde chegou á 9 e á 12 levantou acampamento com destino á Canudos, onde chegou á 16, indo acampar nas antigas pozições da Favella, então evacuadas, sendo que o 2.° batalhão foi guarnecer o fórte 7 de Setembro, antiga “Fazenda Velha.”

Em Monte Santo incorporou-se á brigada o batalhão do Amazonas, com 264 homens, incluindo 17 officiaes; a brigada, por determinação do Ministro da guerra, conduziu até Canudos um grande comboio de viveres e 350 rezes, sendo tudo entregue ao coronel Campello, na melhor ordem possivel.

Quanto ao 1.° batalhão da policia Paulista já estava em Canudos desde 23 de Agosto. Além do seu commandante, o major Joaquim Elesbão dos Reis, compunha-se de 400 homens, incluzive o major José Pedro d'Oliveira e 21