Página:A Guerra de Canudos.djvu/335

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
281
A Guerra de Canudos

do rio, que devia ser o tumulo dos temerarios soldados da Republica, que por um excesso de bravura pudessem romper as formidaveis trincheiras da serra do Cambaio, onde seguramente, com boas razões, nos esperavam e, posso hoje dizer, seria quasi infallivel a nossa ruina, de ante-mão esperada pelos inimigos da Patria, aqui e no estrangeiro.”

O chefe da expedição ainda faz outras judiciosas explanações sobre o valor militar das serras do Cambaio e Calumby, onde ha pontos em que 500 homens bem armados e disciplinados, poderão derrotar 10:000, ou mais do melhor exercito! Por esse caminho esperava A. Conselheiro que transitasse o general Arthur Oscar com a sua força, inflingindo-lhe então inevitavel e dura derrota, que o preclaro general previu e evitou, desorientando o inimigo.

No riacho Cachamongá 8 kilometros da fazenda da Varzea, a força encontrou outra aguada. No dia 5, na fazenda Bôa-Esperança, nova aguada foi assignalada.

Em caminho, foi o tenente-coronel Siqueira encontrando diversas casas destruidas e fazendas damnificadas pelos jagunços; outras, estavam destelhadas pelos proprios donos, para se eximirem dos seus ataques.