Página:A Guerra de Canudos.djvu/356

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
300
A Guerra de Canudos

quer, o qual, devido á temperatura a que chega o projectil em certo ponto da sua trajectoria, já pelo forçamento, já por sua velocidade, se dilata e procura se escapar pela linha de maior resistencia, dando ou produzindo n'essa occasião, o som ou estalido referido.

O facto é que o projectil encamisado das armas modernas de repetição, em virtude de certas circumstancias, ainda não bem averiguadas, em sua trajectoria e no chocar o alvo, torna-se explosivo, expontaneamente; e o facto já também havia sido observado durante a campanha federalista e a revolta de 6 de Setembro.

Assim, convém assignalar, á bem da verdade histórica, que os fanaticos de Canudos não empregavam balas explosivas, como se affirmou. Elles tambem queixavam-se de que as nossas explodiam com o som de bombas de foguetes, e seus fragmentos grandes damnos lhes produziam.




No dia 24, o general em chefe ordenou que fossem rectificadas varias linhas do assedio e que occupavam consideravel extensão de terreno, de feitio sinuoso. Essa operação determinou o engajamento d'um combate, de que resultou a tomada de muitas casas, o incendio de outras, a morte de muitos jagunços e o apri-