Página:A Guerra de Canudos.djvu/358

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
302
A Guerra de Canudos

A iniciativa do movimento, aliás bem succedido, coube ao coronel Sotéro de Menezes.

A' hora assignalada, esse commandante formou as forças sob seu commando e á frente d'ellas transpoz as barrancas do Vasa-Barris, investindo vigorosamente sobre o grande nucleo de edificações proximas a Igreja-nóva, levando de vencida os fanaticos, que ao primeiro impeto viram-se batidos; mas recobrando animo, firmaram a resistência e sustentando vivo fogo das suas posições, fizeram a brigada estacar por momentos, exposta aos fógos cruzados, começando a ter numerosas baixas.

O coronel Sotéro, a testa dos seus valentes e novéis soldados, deu com grande arrojo nova investida, d'esta vez decisiva, obrigando o inimigo á retirada. 200 casas foram tomadas, seus defensores mortos, ou prisioneiros.

O 37° batalhão auxiliou efficazmente o ataque, conduzido pelo tenente-coronel Firmino. Esse batalhão carregou sobre as posições sitiadas, proximas das barrancas da margem esguerda do rio, produzindo grandes estragos no inimigo, occupando consideravel numero de casas e prestando real auxilio ás forças de policia.

O combate d'esse lado proseguiu até as 9 horas da manhã, mantendo os corpos atacantes