Página:A Guerra de Canudos.djvu/361

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
303
A Guerra de Canudos

as posições conquistadas. Em virtude d'esse movimento as aguadas, ou cacimbas dos jagunços, situadas no leito do rio, ficaram sob a acção dos nosso fógos durante o dia. Foram feitos mais de 100 prisioneiros e arrecadados muitas armas e munições.

Da força do Pará morreram um capitão do 2° corpo e 20 praças. Foram feridos o coronel Sotéro, numa perna, o tenente-coronel Dias da Fontoura, intrepido official que valiosos serviços prestou no assalto, o major Calixto M. Mendes, o capitão Asclepiades Pontes, o tenente Rosa Chaves e 35 praças. No 37° foram poucas as baixas.

Simultaneamente ao ataque levado pela brigada policial do Pará, o batalhão de policia do Amazonas, ás ordens do tenente-coronel Candido Mariano, deixou suas posições guardando a estrada de Uáuá e com exemplar denodo e impavidez, avançou, e penetrando no arraial, foi numa carga impetuosa e incessante, conquistando centenas de casas, matando seus valentes habitantes, quasi todos cahindo resistindo, até a machado, surpresos pelo imprevisto do ataque. O commandante C. Mariano escapou de ser victima do seu valor, acossado pelas balas de todos o pontos onde estava o inimigo.