Página:A Guerra de Canudos.djvu/416

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
348
A Guerra de Canudos

O sitio era mais apertado do que nunca e os jagunços combatentes, sobreviventes ao assalto, em numero de 500, estavam acuados no interior d'umas 600 casas, onde tambem permaneciam os não combatentes. Grupos entrincheiravam-se em covas e reductos de pedras sôltas e de páus deitados sobrepostos. A área por elles occupada constituia um quarto, apenas, da que conservavam desde 25 de Setembro, depois do ataque executado pelo coronel Sotero de Menezes.

Onde agora se abrigavam, difficilmente podia-se desvendar o arruamento, aliás tortuoso e estreito, em alguns lugares interrompido pelos escombros das casas ruidas pelo bombardeio. Era um emmaranhado compacto, intrincado, n'um terreno sulcado de mil obstaculos, impossiveis de serem transpostos.

Ahi, n'esse ultimo reducto formidavel, os fanaticos continuavam tiroteiando, talvez já descrentes da victoria, mas decididos a disputarem-n'a bem cara, produzindo-nos ainda grossos damnos. Sobre as nossas cabeças silvavam constantemente os seus projectis, inclusive os de bacamarte, esphericos ou cylindricos, de chumbo, ferro, de chifre e de cêra, que passavam uivando em varios tons.