Página:A Guerra de Canudos.djvu/42

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
34
A Guerra de Canudos

Jesus, que a todos recebia amavel, aconselhando o crescite et multiplicamini.

Quando se organisou a expedição Moreira e, os jagunços, que até em S. Salvador tinham adeptos, foram de logo scientificados quanto á marcha e movimentos da força e es peraram-n'a pacientemente. Pouco hostilizaram-n'a durante a marcha ; em compensação ao penetrar no arraial, já grande povoação e com a igreja nova em construcção adeantada ; n'uma poderosa emboscada hostilizaram duramente a força do imperterrito Coronel. No combate, tambem as mulheres e meninos pelejaram.

A nova do desastre propagou-se no sertão com prodigiosa rapidez. Então, as ultimas duvidas sobre a invulnerabilidade do Bello-Monte sobre a Santidade do Conselheiro, dissiparam-se. Os timidos, os irrésolutos deixaram-se de escrupulos; familias inteiras, algumas abastadas, vendiam o que possuiam, reuniam os parentes afastados e marchavam para a Cidade Sagrada, a abrigarem-se á sombra do poderoso agitador.

A noticia das victorias do Bom-Jesus irradiou-se ao Piauhy, Ceará, Minas, Goyaz e Matto-Grosso. Desses pontos tão afastados affluiam os mais famigerados valentões, os mais truculentos bandidos com armas e munições.