Página:A Guerra de Canudos.djvu/428

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
360
A Guerra de Canudos

querer corresponder-se com o general, pedindo para isso garantias, que lhe foram plenamente concedidas. O jagunço, acompanhado e com ar embaraçado, apresentou-se ao general Arthur, expondo-lhe o objecto da sua missão.

Era um individuo de tez amarellada, pequena barba, olhos azulados e cabellos castanho-claro. A estatura era pouco além da normal, o corpo um tanto curvado. Estava de cabeça descoberta e os pés descalços. Trajava calças de zuarte e cahida fôra dellas a camisa da mesma fazenda. Do seu todo resumbrava um fanatismo calmo, um ar de humildade, em contraposição aos seus ardentes companheiros.

Disse chamarse Antonio, o Beatinho. Era o ultimo dos sobreviventes dos doze Apostolos do Bom-Jesus Conselheiro e exercia o modesto encargo de sachristão. Tivera a incumbencia de em nome d'um certo numero de companheiros, propor a rendição sob determinadas condições, das quaes era a mais importante o partirem para onde lhes aprouvesse, levando as armas de caça e munição. Essa proposta formulada aliás em tom humilde e vóz melliflua, foi pelo general em chefe plenamente contrariada, sendo-lhe imposta a rendição incondicional.