Página:A Guerra de Canudos.djvu/44

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
36
A Guerra de Canudos

Comtudo, rarissimos eram os crimes e as disputas, que o Conselheiro castigava inexoravelmente com a expulsão dos seus autores. As bebidas alcoolicas eram severamente prohibidas: só as usavam alguns sequazes dos mais intimos do Cenobita. Varias casas de commcrcio regorgitavam com os generos, fazendas e quinquilharias. António Villa-Nova, João Abbade, Joaquim Macambira, Senhorinho e outros, locupletavam-se com o producto do trabalho d'aquelles desventurados e sobre elles exerciam decidida influencia. Havia tambem individuos especuladores, explorando habilmente a ingenuidade dos sertanejos, não hesitando em trahil-os, como o fizeram mais tarde.

Geremoabo, Monte-Santo e outros pontos, constituiam succursaes do arraial, e lhe forneciam armas, polvora e generos. Conselheiro enviou emissarios para longe com o fim de attrahirem mais gente. Era intuito do agitador concentrar em Canudos tal massa humana, contra a qual fossem baldados todos os esforços dos republicanos. Assim, já elle annunciava com segurança que Bello Monte era invencivel, no que os fanaticos piamente acreditavam, embora dispostos a lucta sem tregoas.

Com a derrota da expedirão Moreira Cesar, apossaram-se os fanaticos de grande cópia de munições e armamento. Talvez quinhentas ca-