Página:A Guerra de Canudos.djvu/452

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
384
A Guerra de Canudos

dões, ainda uma vez produziu-se intensa commoção entre os combatentes de ha pouco, porém, agora de alegria e de enthusiasmo, como prenuncio da próxima volta de todos aos lares, e do descanço de que geralmente necessitavamos.

Todos os canhões salvaram com 21 tiros, em regosijo da feliz nova, saudando á bandeira nacional, tremulando ufana e altiva sobre as ruinas da igreja-baluarte.

As forças entraram em fórma. O hymno nacional e a alvorada fizeram-se ouvir pelas bandas de musica e de corneteiros, vibrando em todos os peitos a satisfação e o orgulho de terem todos cumprido o seu dever e salvo o Paiz de futuras catastrophes, com absoluta certeza esperadas. Os Generaes Arthur Oscar, Silva Barbosa e Carlos Eugenio dirigiram-se á vasta praça, onde se realisava a formatura, sendo em delirio victoriados pelas tropas, a que passaram revista.

Estrondosos vivas á Republica, ao Exercito e a vários chefes militares echoaram, dis persando-se afinal os batalhões em festiva passeiata, indo todos occupar as posições anteriores ao assalto de 1° de Outubro.

As manifestações de alegria abrangeram parte da noite, sendo effusivamente saudados