Página:A Menina do Narizinho Arrebitado (1920).pdf/20

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

16A MENINA DO
 


A Menina do Narizinho Arrebitado (pag 16. crop).png

o erguessem pelos hombros e ficassem alli a sustel-o. O baratão moribundo enguliu a hostia, fez uma careta, engasgou, tossiu e morreu.

— Antes assim, disse o medico. Si sarasse, que triste vida seria a sua, só no mundo, sem mulher, nem filhos...

Todos concordaram, enxugando cada um a sua lagrima. O principe, depois de ordenar o enterro, perguntou a mestre Caramujo:

— E os outros doentes, doutor?

A Menina do Narizinho Arrebitado (pag 16. crop) - 2.png

— Os outros?... os outros morreram, respondeu elle um tanto enfiado.

Escamado piscou para a menina como quem diz: "Vê? ninguem escapa das mãos delle..." e convidou-a a retirar-se. Antes de sahir, porem, Narizinho espiou pela janella e viu a rã assassina pendurada pelo pescoço a balançar-se no galho dum espinheiro. Teve dó, mas lembrando-se do pae-barata moribundo, disse comsigo: — Bem feito!