Página:A Menina do Narizinho Arrebitado (1920).pdf/36

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

32 A MENINA DO

guma barata e o reino soffreria a vergonha de ser governado por uma rainha que volta e meia perde a casca...

E assim, conversando, caminhava as duas pelas alamedas muito limpinhas e bem arrumadas do jardim. Todas as manhãs as formigas corriam o parque inteiro catando todos os cisquinhos, aparando os gramados e deixando tudo que era um primor. Havia um lago á beira do qual pararam, mirando-se no espelho liquido. Estavam pensativas ambas: Narizinho com saudades do principe e a Aranha com saudades das sessenta filhas papadas por mestre sapo. Nisto ouviram um gemido a certa distancia. Approximaram-se. Era mestre Agarra que alli gemia com uma barriga enorme estufada de pedrinhas.

— Ai de mim, chorava elle, que não posso nem andar!... Menina

A Menina do Narizinho Arrebitado (pag 32. crop).png

dos cabellos de ouro, tenha dó deste pobre sapo e peça ao principe que me perdôe!...

Narizinho tinha bom coração e, compadecida da miseria do infeliz animal, prometteu intervir em seu favor.

— Veja, disse ella á Aranha, este coita-