Página:A Vida de Antonio Rodrigues Ferreira.pdf/37

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
49
DO INSTITUTO DO CEARÁ


Todos os có-religionarios mais graduados tomaram luto por 8 dias em demonstração de pezar.

Vinte e um annos depois, tendo a S. Casa resolvido demolir o cemiterio de S. Casimiro, passou seos restos mortaes para o novo cemiterio de S. João Baptista, com a possivel solemnidade.[1]

Acham-se elles depositados no mausolêo da S. Casa no novo cemiterio, do lado direito da Capella , andar supe-


  1. Eis como o conselheiro Estellita, Vice-Provedor da S. Casa, se exprime sobre essa trasladação no seo Relatorio de 1880 a 1881, publicado no Cearense n ° 31 de 2 de Abril de 1880 :—

    « Resolvendo a Meza a demolição do antigo cemiterio de S. Casimiro, em vista do seo estado de ruinas e profanação, em que se achava, tracta a Commissào nomeada de eregir no novo cemiterio um decente jazigo para nelle serem recolhidos os ossos que de seo solo foram extrahidos destinando-se deposito decente o perpetuo para aquelles que forem reclamados pelos interessados, que a isto tiverem direito, levantando-se a par d’aquelle jazigo nm maosuleo para serem recolhidos os ossos do benemerito Antonio Rodrigues Ferreira, qae tanto honhou em diversas legislaturas a cadeira de presidente da Camara Municipal da Capital, e a quem tanto se deve pelos melhoramentos, que emprehendeu e realisou, e que muito ha contribuído para distinguil-a de muitas outras capitaes, que, á falta de um cidadão tão patriota e desinteressad, onão tem a sua edificação a belleza e realce, que aqui se observa »

    O Cearense n.º 83 de 13 de Abril de 1880 é ainda mais explicito:

    « Hontem pela manhã teve logar a trasladação dos ossos exhumados do antigo cemiterio de « S. Casemiro » e depositados na Capella de S. João Baptista para os mausoléos mandados construir para esse fim pela Mesa Regedora da S. Casa de Misericordia

    « Depois de celebradas as missas e mais cerenonias religiosas foram conduzidos á mão pelos membros das Irmandades, que compareceram ao acto, os caixões que continham os ossos, sendo aquelle em quo se achavam os restos mortaes do Tenente Coronel Antonio Rodrigues Ferreira levado pelos Srs. Exm.º Conselheiro André Augusto de Padua Fleury, Dr José Julio de Albuquerque Barros, Dr. José Pompeo de Albuquerque Cavalcante, Vice-Provedor interino, e João Cordeiro, presidente da Camara Municipal.

    « Ao acto compareceram os Exm.os Srs. conselheiro Presidente da Provincia, Bispo Diocezano, Vigario Geral. Cura da Sé, Varios sacerdotes, seminaristas, as Irmandades do Rosario e do Livramento, a Mesa Administrativa da S. Casa e alguns membros da respetiva Confraria.

    « O acto terminou às 8 horas d’amanhã »