Página:A campanha de Canudos.pdf/129

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
a campanha de canudos
125

Faz pena, de certo, que tanto valor e tamanha abnegação se despendessem numa guerra civil, a maior calamidade que póde cahir sobre um povo. E no Brazil, si é possivel, mais fu­nesta ainda ella é.

Paiz novo, despovoado, cheio de mil necessidades, precisa de paz interna e da confraternização de todos os seus filhos para prosperar e progredir, desenvolvendo as forças naturaes, que estão por ora em repouso no seu seio opulento e fecundo.

Como quer que fosse, a famosa cidadella, cuja conquista nos custou tantas vidas e tanto dinheiro, estava quasi toda em poder das forças legaes. Não havia, porém, que fiar. Os ade­ptos do Conselheiro não eram homens para esmorecer, mesmo em frente da morte.

Urgia, conseguintemente, garantir as posições occupadas, até porque a noite vinha descendo, e della podiam se aproveitar os fanaticos restantes para uma sortida às linhas, então desabri­gadas. Assim ó que foram levantadas as trincheiras necessarias, com uma presteza e solidez admiraveis. E mais bem inspirada não poderia ter sido a idéa, conforme os factos posteriores se in­cumbiram de mostrar.

Quando tudo parecia quieto, por ter a fadiga empolgado os combatentes, escapos ao füror da refréga, descargas repetidas vieram acordar o acampamento, onde reinava o silencio proprio das horas solemnes.

O espirito dos soldados estava cheio das recordações dolo­rosas do dia, que tinha ha pouco expirado. O coração de todos elles ainda chorava a perda de camaradas, tão bravos quanto infelizes, que ali tinham succumbido em holocausto ao dever.

As provocações da jagunçada obtiveram, não ha duvida, a resposta que mereciam, mas continuaram durante toda a noite com uma insistencia pasmosa. E causava assombro a impavidez, o enthusiasmo, a resolução daquella gente, que investia serena contra as trincheiras, onde aliás deparava com o soffrimento e a morte.

Além de impellidos pelo seu valor indomado, a verdade é — que os jagunços assim procediam levados tambem pelo des­espero, que a situação lhes incutia. Chegara, afinal, o