Página:A campanha de Canudos.pdf/58

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
54
a campanha de canudos

Para proval-o existem, de certo, os telegrammas do juiz de direito e do promotor de Monte Sancto, que já ficaram transcriptos. Encontra-se, egualmente, a carta confidencial de um capitão de policia que, a 17 de dezembro, communicava ao chefe da segurança o seguinte: Ha muito exagero nos boatos ahi espalhados ; Conselheiro não terá mais de 1000 pessoas, inclusive mulheres e meninos. Consta que têm havido muitas deserçoes das fileiras do conselheiro, e contaram-me que tendo elle mandado 60 homens escolhidos montarem uma trincheira a 13 ki­lometros do reducto, elles aproveitaram e fugiram à noite.

O proprio governador da Bahia no officio que, em 11 de dezembro de 1896, endereçara ao commandante do respectivo districto militar, com referencia à 2ª columna, que estava sendo organizada sob o commando do capitão Salvador Pires de Car­valho e Aragão, assim se externara:

« Sem que me seja dado entrar na apreciação da expedição projectada, e comquanto não conste do vosso ofilcio o total do contingente de que elle trata, me parecia não ser insufficiente para o fim almejado a força, que já se acha em marcha, visto compôr-se ella de numero superior a 300 praças e considerar exageradas as informações, prestadas em relação ao grupo dirigido por Antonio Conselheiro.»

Era natural, pois, que de posse dessas opiniões mais ou menos autorizadas, o major Febronio de Brito não contasse encontrar a resistência, que effectivamente os jagunços lhe oppuzeram.

Mas, a confissão franca dessa verdade nenhum desar po­deria trazer ao commandante da expedição e, antes, o pou­paria à injustiça de attríbuir ao governador do Estado, e aos seus amigos, intenções e planos incompatíveis com o senti­mento mais vulgar de patriotismo e lealdade.

Uma questão que levantou-se entre certas pessoas in­fluentes de Queimadas, a proposito da hospedagem acceita pelo major Febronio, não era de molde a fazel-o vir publicar na imprensa uma carta, em que transparecia o proposito de accusar o Governo do Estado, e se leram conceitos menos justos a respeito dos acontecimentos que, infelizmente, es­ tavam se desenrolando. E demais, essa carta foi dada à