Página:A escravidão dos negros.pdf/56

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
52
A ESCRAVIDÃO


instante de crise, não pódessem encontrar aluguel, mediante ajuste livre, em fazendas onde houvesse habitação para elles.

     — As despezas feitas com taes estabelecimentos deveriam correr — não ha duvida — por conta dos proprios senhores. Elles devem alimentos aos negros que, em seu serviço, perderam a saúde ou a parte da vida que póderiam ter coosagrado ao trabalho. Devem tambem alimentos ás crianças cujos paes, mortos no captiveiro, não póderam deixar herança, Devem, finalmente, alimentos por tempo determinado a todos os seus escravos, porque o captiveiro impedia-os de fazer as economias necessarias para esperar o trabalho. Estas obrigações são estrictas, indispensaveis; e si o governo se encarregasse d'ellas em logar dos senhores, seria isso uma especie de injustiça feita ao resto da nação em favor dos colonos; seria agravar o peso dos impostos sobre innocentes para poupar os culpados. Por isso, o unico meio justo e compativel com o estado em que ficariam então os possuidores de escravos, seria um emprestimo publico, reembolsavel por meio de um imposto lançado exclusivamente sobre as terras dos colonos. —

     4.° — Como seria para receiar que os negros habituados a não obedecer senão á força ou ao capricho, não pódessem ser contidos, no primeiro momento, pelas mesmas leis que os brancos; — que fórmassem quadrilhas para entregarem-se ao roubo, á vinganças particulares e á uma vida errante nas florestas e nas montanhas; — que taes