Página:A morgadinha dos canaviais.djvu/202

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


persuado de que não são de todo desculpaveis? quando... porque o não direi? quando sinto remorsos de os ter commettido? É aquí, é perante a boa fé, a sinceridade, a candura d’esta familia, que me tem amor, e que me considera um homem perfeito, superior, impeccavel. É perante os generosos sentimentos da minha Lena, e o caracter nascente d’aquella creança—­e indicava Angelo com o gesto.—­Parece-me que tenho n’elles juizes inflexiveis, e escondo por isso a minha face politica dos seus olhos penetrantes. Ha muita coisa n’ella, para que o mundo é já indulgente, mas que receio elles me não perdoassem.

Reparando para o olhar de estranheza, com que Henrique lhe seguia está effusão de sinceridade, o conselheiro accrescentou, sorrindo:

—­Estou a vêr que não esperava estás palavras da minha bôca; está confissão de peccador contricto.

—­Confesso que não.

—­Então que quer? Surprehendeu-me aquí com o coração aberto. Já agora deixe-me continuar. Uma das ideias que maïs me atormentam sabe qual é? Vê aquella creança que alli está? Angelo? É uma intelligencia que, de dia para dia, vejo formar-se com um vigor de vida, que me espanta. Não é a vaidade paterna que me cega, pode acreditar. Conhecendo-o de perto ha de dar-me razão. Mas o que ha além d’isso n’elle é um senso profundamente moral, raro até em idades menos tenras. Pois bem, quando penso n’elle por algum tempo, e conjectura que não serão poucas as vezes em que o faço?... quando penso n’elle e no futuro, sobresalto-me. De um lado, seduz-me abrir-lhe a carreira politica, onde ha grandes triumphos a embriagar as intelligencias e onde presinto que a d’elle terá o direito, se não o dever, de procurar um logar; mas, se me lembro de que na atmosphera d’aquellas regiões não duram muito estás primitivas canduras da alma, tão adoraveis